mercredi 21 novembre 2007

A imoralidade e a profanidade moderna: O Marquês de Sade caminha entre nós!


A pornografia mundana tomou conta de todos no mundo moderno, todos tentam medir seu caráter de acordo com seu membro abaixo da linha do equador e no centro do hemisfério sul. Entre quatro paredes tudo acontece de acordo com seu âmbito imoral do seu eu inconsciente desprezível, pois todos os tabus tradicionais são quebrados. O sexo regado de perversidade, sadismo e selvageria considerado por todos como algo tão nojento e horripilante é praticado com a euforia e com a alegria de fazer "o algo proibido", mas negado até o momento de sua morte. Mulheres querem mais do que um membro na mesma noite, e todo calor e atenção no lado onde o sol adormeceu e ainda uma ação emergente onde o sol continua a brilhar. A Devassidão é clamado por todos como a felicidade moderna, aquilo que era proibido ficou delicioso, o profano se tornou sagrado e o que era sagrado ficou demoníaco e renegado. O Marquês de Sade renasceu no coração de cada um nesse mundo, como o libertador da melancolia e salvador da felicidade. Esse aristocrata francês e escritor da pornografia violenta desprezando os valores religiosos e morais, surgiu das cinzas na modernidade e acentou a vagueza no coração de cada pessoa do mundo vigente.

1 commentaire:

Tavos a dit…

E vou além, digo que o Marquês por fim comeca a se libertar de suas amarras do tradicionalismo. As pesoas por fim, aos poucos, entendem que enquanto existe o consentimento, quase qualquer é válida.